novelasco escreve para você

minha poesia

Textos


imagem da net

 

CARCAÇA VELHA


Hoje sou carcaça velha
Mas já fui jovem e bela
De virar os corações
Bastava apenas um olhar
Lá vinha eles correndo
Se atirar nos braços meus
Não tinha dó nem piedade
E as vezes só por maldade
Dava a ilusão de me ter
Quantos homens fiz sofrer
Por não acreditar no amor
Entre um homem e mulher
Acredito na paixão
Daquelas que que faz gemer
Terminando a paixão
Onde é que fica o amor
Dentro de uma cozinha
Fazendo arroz com galinha
E o outro com barrigada
Da janela faz morada
Sonhando com a do vizinho
E essa velha carcaça
Que de boba não tem nada
Nunca quis ir para o fogão
Fazer o arroz com feijão
Não era deveras meu fraco
Do que eu mais adorava
Era chupar um chimarrão
Hoje lembro e acho graça
Tomo um gole de cachaça
Daquelas que queima a goela
Porque me faz recordar
Cruz credo como era bom
Os olhos a revirar
A Maria a se assanhar
Vai para o banheiro mijar.

novelasco
Enviado por novelasco em 04/09/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras